*
Flávio Louzas deriva por espaços públicos há 11 anos como Palhaço Bartolomeu Caroço e promove grupos de pesquisa em artes cênicas.
Natural de São Paulo, capital, transitou e residiu (até agora) em sete estados brasileiros, mantendo estreita relação com as artes plásticas e a poesia do cancioneiro popular ao hiphop, combinando em textos de fragmentos, retalhos e samplers referencias a um sublime  ” poema ideal”, personagem cômico, frequente na mediação entre a vontade que escreve e a que lê. Reuniu trabalhos, antes comercializados como objetos e livretos artesanais, na publicação “Desideia Seminova – Vendo, compro, alugo, aceito troca” (All Print, 2011) e participou de publicações coletivas independentes, em 2015 foi premiado no festival “SESC PB – Poesia encenada” com a montagem de “Poema colateral”.  Integrante do movimento Transbordelico – Transbordelia desvairada, faz poesia além das margens.
BACK